Xinjiang, a nova fronteira (I)

É impossível não pensar no meu herói uigur que lia romances em inglês. Ele que finalmente teve direito a um passaporte, saiu da China, provavelmente para nunca regressar.