“Pearl Harbor, Lisboa, Tóquio” e a relação de Morishima Morito com Macau

O mercado livreiro português é reduzidíssimo, já se sabe. Diz-se que dos cerca de dez milhões de habitantes de Portugal, os leitores de livros não passarão dos dez mil. Sendo assim, publica-se muito mais o que promete vender e muito menos o que se sabe de antemão que terá pouco interesse para esse diminuto universo.