“Não havia lugar para a poesia vermelha”

Quando Chen Dongdong começou a escrever poesia no início dos anos 1980, viu-se obrigado a questionar tudo o que tinha aprendido até aí. “A minha educação poética era sobretudo aquilo a que chamávamos de poesia vermelha durante a Revolução Cultural”, lembrou o autor chinês durante uma das sessões do 8.º Festival Literário de Macau – Rota das Letras.

Jidi Majia: ambição universalista de uma poesia ligada às raízes

Os Yi são animistas, acreditam que a alma habita “todo o ser”, vive nos mares, nos rios, pedras e montanhas. “Acreditamos que vive e está em todo o lado”, explica Jidi Majia. O autor, nome grande da poesia chinesa, nasceu no Sul de Sichuan, distrito de Liangshan Yi, onde vive uma importante parte da população Yi, uma das 56 minorias étnicas do país.

Rota das Letras: Ásia em língua inglesa

O Festival Literário de Macau - Rota das Letras aposta este ano na presença de autores de língua inglesa que escrevem sobre a Ásia. "Queríamos trazer a Macau autores que representassem olhares exteriores em relação a estas realidades", diz Hélder Beja, director de programação do festival. Catarina Domingues A ligação de Peter Hessler à China data … Continue a ler Rota das Letras: Ásia em língua inglesa

Rota das Letras: Yu Hua em dez palavras

Yu Hua nunca se separou da Revolução Cultural. É precisamente essa década da história contemporânea da China que continua a dar forma ao universo literário de um dos mais importantes nomes da literatura chinesa. Com Kafka aprendeu que escrever é um acto de liberdade. E admite que vai continuar a fazê-lo, mesmo com algumas das suas obras proibidas … Continue a ler Rota das Letras: Yu Hua em dez palavras

ROTA DAS LETRAS: A identidade de Grace Chia

Grace Chia nasceu entre mundos, vive entre a "chinesidade" e a "ocidentalidade" e tudo isto existe no que escreve. A autora de Singapura, que se expressa em inglês, tem oito livros publicados. Entre a prosa e a poesia, surge a raça, o género, a identidade. Falámos com a escritora em Macau, onde se encontra para participar no festival literário … Continue a ler ROTA DAS LETRAS: A identidade de Grace Chia

Rota das Letras: “No Interior da China é melhor não tocar em temas sensíveis”

O ilustrador de banda desenhada Wu Ziyuan nasceu em 1988 na província chinesa de Guangdong e começou por divulgar o seu trabalho no Weibo, uma plataforma de microblogues na China semelhante ao Twitter. Na sessão "Desenhando Palavras - A Arte da Banda Desenhada", que abriu a 6.ª edição do Festival Literário de Macau - Rota das Letras, discutiu-se o papal da BD como acto de resistência.