“An Elephant Sitting Still” de Hu Bo vence melhor filme em Taipé

Hu Bo suicidou-se na sequência de divergências com os produtores sobre a direcção artística do filme. “An Elephant Sitting Still” foi distinguido em duas categorias no Festival do Cavalo de Ouro, em Taiwan, que este ano foi também palco de uma polémica desencadeada por intervenções com conotação política.

“An Elephant Sitting Still”, longa-metragem do realizador chinês Hu Bo, venceu este fim-de-semana as categorias de “Melhor Filme” e “Melhor Argumento Adaptado” no 55.º  Festival do Cavalo de Ouro, em Taiwan.
O filme conta a história de quatro pessoas que deixam para trás a pequena vila onde vivem no Norte da China e vão ao encontro de um mítico elefante sentado, que ignora tudo e todos e que vive no jardim zoológico de Manzhouli, na Região Autónoma da Mongólia Anterior.
Hu Bo, também romancista, suicidou-se em Outubro do ano passado, aos 29 anos, alegadamente após divergências sobre a direcção artística do filme com os produtores. Os direitos da obra pertencem agora aos pais do cineasta, nascido em 1988 em Jinan, capital da província chinesa de Shandong.
Ao entregar os dois prémios à mãe do realizador, Ang Lee, presidente do júri, afirmou que a película é “um legado de Hu Bo à indústria cinematográfica chinesa”.


Zhang Yimou é o melhor realizador com “Shadow”
“Shadow” de Zhang Yimou recua até ao século III, na China, durante o Período dos Três Reinos, e retrata o líder do Reino de Pei (Deng Chao), enquanto este se prepara para a reconquista da cidade perdida. Jing, também interpretado por Deng Chao, é a “sombra” e foi criado deste pequeno para servir de duplo do comandante.
Enquanto recebia o prémio de “Melhor realizador” em Taipé, Zhang Yimou, autor de “Red Sorghum” e “Raise the Red Lantern”, relembrou que em 40 anos de profissão, esta foi a primeira vez que foi nomeado para a categoria no festival taiwanês. O Festival do Cavalo de Ouro realiza-se desde 1962 e é o mais aclamado evento do cinema em língua chinesa. 
O prémio de “Melhor Actor” foi para o chinês Xu Zheng em “Dying to survive” e a taiwanesa Hsieh Ying-xuan recebeu o galardão de melhor actriz pela interpretação em “Dear EX”.


Palco político
A realizadora Fu Yue venceu o prémio de “Melhor Documentário” com o trabalho “A nossa juventude em Taiwan”, uma abordagem à “revolta do Girassol”, que se deu em 2014 contra a influência chinesa em Taiwan. As declarações de Fu Yue, que afirmou que o seu maior desejo enquanto taiwanesa é que o “país seja tratado como entidade independente”, incendiaram as redes sociais. Críticos às pretensões independentistas de Taiwan inundaram o Facebook de Fu Yue com comentários negativos, que viriam a merecer a desaprovação da presidente do país, que se referiu aos ataques como crimes de “cyberbullying”.
“Uma pessoa que expresse as suas opiniões livremente não deve estar sujeito a assédio”, vincou a líder.
Tu Men, actor chinês, disse também na ocasião que se sentia honrado ao apresentar um prémio na “China, Taiwan”, expressão contestada por quem defende a independência da ilha.   


 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s