In the Ruins of Empire

joa%cc%83o-guedes_perfil

 

 

 


João Guedes*

Os anos da segunda Grande Guerra Mundial, que durou de 1939 a 1945, ainda hoje estão presentes na memória colectiva, tal como os anos da Guerra do Pacífico, que durou mais um e terminou já em 1946.
Ainda há gente viva em Macau que recorda os bombardeamentos contra o território feitos pelos aviões da esquadra americana. Muitos se lembram também dos refugiados que por aqui passaram, mais do que duplicando a população, durante vários anos.
Há muitas histórias que ficaram na memória sobre esse período.
Mas alguém se lembrará da forma como a cidade se restabeleceu da crise e regressou à normalidade anterior ao conflito?
Esse período imediatamente após o fim do conflito continua em grande parte desconhecido, tanto em Macau, como em vários outros países do Extremo Oriente e do Sudeste Asiático. Porque é que surgiram – mas essencialmente como é que surgiram – as independências da Coreia, Malásia, Indonésia, Birmânia ou das colónias francesas da Indochina? O que levou potências coloniais como a França, a Holanda e a Inglaterra a aceitarem a emergência desses novos países? A história da descolonização da Ásia é complicada e terá custado mais, ou pelo menos tanto sangue, quanto custaram os anos da Guerra do Pacífico.
Isto é o que nos diz Ronald Spector, no seu livro, “In The Ruins of Empire, The Japanese Surrender and the Battle for Postwar Asia”. O livro aborda a confusão da época que se seguiu ao cessar de hostilidades com o Japão, o regresso das autoridades coloniais e a emergência dos movimentos de libertação, fazendo luz sobre alguns protagonistas da época. Assim fica a conhecer-se melhor Sukarno da Indonésia, por exemplo, que fez a independência do seu país aliado aos japoneses e com o seu apoio, mesmo depois da rendição do Império do Sol Nascente.
Igualmente se fica a conhecer melhor a figura de Ho Chi Minh e as razões por que o Vietname permaneceu dividido durante décadas. Fica-se a saber também as razões que levaram à divisão da Coreia em dois países, que o paralelo 38 ainda hoje divide.
No que respeita à Malásia, fica a saber-se o papel da China no restabelecimento da ordem, alegadamente posta em causa pelas guerrilhas oriundas da numerosa comunidade chinesa que naquele país vivia e constituía uma minoria avassaladora.
Enfim, em minha opinião, esta obra, talvez um tanto ou quanto abrangente de mais para explicar com detalhe tantas e tão variadas situações, vale pela luz que derrama, não tanto sobre o passado mas particularmente sobre a situação geopolítica dos dias de hoje no Extremo Oriente.
Ronald Spector é professor de história e relações internacionais na Universidade George Washington e foi também distinto docente de estratégia na Escola de Guerra de Washington.
Neste livro fica o ponto de vista de um académico que conhece o terreno já que serviu nos “marines” durante a guerra do Vietname.

in the ruins of empire_capa

jornalista e historiador

 

 

Sobre a obra:

Título: In the Ruins of Empire – The Japanese Surrender and the Battle for Postwar Asia
Autor: Ronald H. Spector
Língua: Inglês
1.ª Edição: Random House, 2007
Desenho da capa: Barbara M. Bachman
Páginas: 384

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s