História dos intercâmbios literários – Volume China-Portugal

han-lili_foto

 

 

 

Han Lili*

O livro foi lançado em Dezembro de 2016 pela editora Shandong Education Press. Foi elaborado em chinês pelo professor Yao Jingming, aliás, conhecido enquanto poeta pelo pseudónimo Yao Feng.
Composto por cinco capítulos, o Volume China-Portugal conta-nos a história do intercâmbio das literaturas chinesa e portuguesa, descreve a introdução mútua nas literaturas de chegada e, no final, salienta o papel de Macau neste processo de intercâmbio literário, apresentando os escritores macaenses bem como a literatura chinesa em Macau.
Começa por falar sobre o primeiro contacto destas duas literaturas, que teve início na época de explorações marítimas de Portugal no Extremo Oriente, destacando as heteroimagens dos chineses sobre os primeiros aventureiros portugueses. Ao mesmo tempo, os diários dos primeiros portugueses descreviam também as imagens exóticas do Oriente que, por sua vez, constituíam uma fonte inesgotável de inspiração para os escritores viajantes. Os escritos desta época ficaram marcados pela projecção das próprias imaginações em relação a outra civilização antiga, mítica e atraente, mas distante.
Quanto à introdução da literatura portuguesa na China, o autor selecciona alguns escritores portugueses (José Saramago, Fernando Pessoa, Eugénio Andrade e Sophia de Mello Breyner Andresen) para apresentar ao público chinês. Descreve a vida dos autores, as obras e o panorama da tradução das suas obras para o chinês, citando também alguns excertos brilhantes que reflectem os seus pensamentos filosóficos.
hist_intercambio2No que concerne à introdução da literatura chinesa em Portugal, ou melhor seja, em português, são mencionados António Feijó, Camilo Pessanha, António Graça de Abreu, Jorge de Sena e Gil de Carvalho. Cada um deles tem um estilo distinto no tratamento dos elementos literários da China, apresentando diversas facetas e imagens da literatura chinesa. Todavia, o autor lamenta que no mercado de tradução literária em Portugal, a literatura chinesa traduzida ainda esteja numa situação periférica, devido à falta de tradutores. Consequentemente muitas vezes as obras chinesas não são traduzidas directamente para o português, devendo recorrer a uma terceira língua, como é o caso de “Peito Grande, Ancas Largas” do autor Mo Yan, galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 2012.
O autor dedica o último capítulo a Macau, um sítio incontornável para o intercâmbio literário entre a China e Portugal. Elogia o contributo deste pequeno território como sítio incubador da confluência das duas tradições literárias, mas acaba por lamentar o incumprimento desta missão. O autor revela empatia em relação aos escritores macaenses e à literatura chinesa, na qual ele próprio também está activo. No fundo, o livro apresenta um mapa panorâmico sobre o intercâmbio das literaturas chinesa e portuguesa, servindo como leitura básica para este tema. Aliás, é de referir que os escritos do autor são delicados e poéticos, o que constitui mais uma valia e razão pelas quais recomendo este livro. Espero que o livro seja traduzido para o português, para ser lido pelo público português.

* Subdirectora da Escola Superior de Línguas e Tradução do Instituto Politécnico de Macau

Mais sobre o livro:

Título original: 中外文學交流史:中國-葡萄牙卷
Colecção: 中外文學交流史
Autor: 姚風
Editora: 山東教育出版社
Número de páginas: 277
Onde comprar: 網購

hist_intercambio1

FOTOS: CATARINA DOMINGUES/ EXTRAMUROS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s